Saúde Mental no Dia dos Avós

0
162

Como Cada Fase da Vida Afeta Nosso Psicológico

Com os avanços da medicina prolongando a expectativa de vida, a população idosa cresce de maneira significativa. Neste Dia dos Avós, precisamos entender que esse aumento traz consigo novos desafios, entre os quais se destaca a necessidade de cuidar da saúde mental dessas pessoas. Enfrentar o envelhecimento com qualidade de vida inclui lidar com as complexas demandas emocionais que surgem nesta fase, e a terapia pode desempenhar um papel fundamental nesse processo. Para entender melhor, pedimos ajuda do psicólogo Luti Christóforo, que traz informações sobre o assunto.

Os idosos enfrentam uma série de mudanças profundas e muitas vezes dolorosas, como a perda de um cônjuge, a aposentadoria ou a diminuição das funções sensoriais e motoras. Além disso, a rápida evolução tecnológica pode contribuir para um sentimento de inutilidade, pois, ao contrário das gerações passadas, os idosos de hoje não são mais vistos automaticamente como fontes primárias de sabedoria. Em vez disso, muitas vezes são os jovens que ensinam os mais velhos a navegar no mundo digital.

Porém, é importante que os jovens valorizem o conhecimento e a experiência de vida das pessoas mais velhas. Infelizmente, muitos jovens acabam sendo arrogantes e não respeitam a sabedoria acumulada dos idosos, subestimando seu valor. Este comportamento pode aumentar o sentimento de inutilidade e isolamento entre os mais velhos. Promover o respeito intergeracional e o reconhecimento da importância das experiências de vida dos idosos é fundamental para fortalecer os vínculos familiares e melhorar a saúde mental de todas as gerações.

Como diz o psicólogo Luti Christóforo, “esses fatores podem gerar sentimentos de fragilidade e desencadear problemas emocionais, como a depressão. O cuidado com a saúde mental é, portanto, essencial para a manutenção da qualidade de vida na terceira idade. A ajuda profissional de um psicólogo pode ser crucial para que os idosos compreendam que a velhice não é o fim, mas uma nova fase da vida que pode ser vivida com propósito e satisfação”.

A psicoeducação, conduzida por um psicólogo, pode ajudar a desmistificar pensamentos negativos e fornecer estratégias cognitivas para encontrar motivação na rotina diária. Muitos idosos acreditam que não são capazes de mudar, mas com confiança e prática, podem alterar crenças disfuncionais e melhorar sua qualidade de vida. Diferenciar entre limitações reais e percebidas é um aspecto importante do processo terapêutico.

“Para maximizar a eficácia das sessões de terapia, algumas adaptações podem ser necessárias, como usar fontes maiores nos materiais de plano de ação e fazer resumos frequentes dos pontos mais importantes. Em certos casos, o atendimento domiciliar e a participação da família no processo terapêutico também são fundamentais”, explica o psicólogo.

A terapia busca melhorar aspectos cruciais como pertencimento, autonomia, valor e aceitação. A autonomia, muitas vezes comprometida na velhice por limitações reais ou crenças irracionais, pode ser recuperada através de uma análise cuidadosa e de estratégias desenvolvidas em conjunto com o terapeuta. Sentir-se útil e valorizado é essencial para o bem-estar do idoso, e a terapia pode ajudar a redescobrir esses sentimentos.

Uma estratégia eficaz tem sido o treino de habilidades sociais, incentivando os idosos a estabelecer ou retomar relacionamentos e buscar atividades prazerosas. Grupos de terapia para idosos também têm mostrado bons resultados, ajudando a combater a solidão e promover interações sociais positivas.

Trabalhar com crenças geracionais e entender o impacto das experiências de vida do idoso são partes importantes do tratamento. Muitos idosos veem a velhice de forma negativa, o que pode agravar problemas psicológicos como a depressão. A adesão ao tratamento é um desafio, mas envolver o idoso de maneira colaborativa e valorizar cada pequeno progresso pode facilitar o processo terapêutico.

Cuidar da saúde mental dos idosos é crucial para garantir que possam viver esta fase da vida com dignidade e qualidade. A terapia oferece ferramentas e estratégias para enfrentar os desafios do envelhecimento, ajudando os idosos a manterem sua autonomia, sentido de valor e pertencimento. Assim, podem redescobrir um propósito e viver plenamente, independentemente da idade.

Serviço:
Luti Christóforo
Psicólogo clínico com especialização em psicologia analítica.
WhatsApp: (41) 99809-8887
Instagram: @luti_psicologo
E-mail: lutipsicologo@gmail.com

Deixar um compentário

Please enter your comment!
Please enter your name here