LUIZINHO LOPES LANÇA SEU NOVO ÁLBUM, “COMO SERIA EXPLODIR UM AMOR TÃO CONCRETO DURO DE PARTIR?”, NAS PLATAFORMAS DIGITAIS NESTA SEXTA-FEIRA (06/10)

0
168

Compositor de grande intimidade com a poesia, o artista mineiro tem uma trajetória de constante produção na música em mais de quatro décadas de carreira

Ouça ou baixe aqui: https://tratore.ffm.to/luizinhocomo

O compositor, cantor e violonista Luizinho Lopes lança no dia 6 de outubro seu novo trabalho, o álbum “Como Seria Explodir Um Amor Tão Concreto Duro de Partir?”, em vinil e nas plataformas digitais. Todas as canções reafirmam o compromisso do artista com a qualidade e a criatividade, que marcam sua trajetória nessas quatro décadas na música.

“Este disco surgiu sem controle. Soa para mim como o inconsciente revelando sua poesia.”, diz o artista. Gravado nos estúdios Macieiras e Versão Acústica, em Minas Gerais, o disco tem direção musical de Marcos Filho, Dudu Viana, Salomé Viegas e Luizinho Lopes. A mixagem é do maestro Ricardo Itaborahy e a masterização de Luiz Tornaghi. A capa é assinada pela artista plástica Fernanda Cruzick.

O repertório é composto por 10 faixas, todas composições de Luizinho, exceto na canção “Em Menos de Um Minuto”, em parceria com o premiado romancista Luiz Ruffato. A cantora mineira Natália Vargas participa nas faixas “Canção de Ninar Mãe”, “Hóstia da Noite” e “Mudou o Tom”. Outra participação especial é da Orquestra Sinfônica de São Petersburgo, da Rússia, na canção “Órbita”.

Alguns artistas já gravaram músicas de Luizinho em seus discos, como as cantoras Tânia Bicalho e Marcela Lobbo. Já o cantor e violonista Renato Braz e a cantora Luhli, que foi da dupla Luli e Lucina, foram convidados a participar de alguns álbuns do artista. O primeiro trabalho de Luizinho, “Nem Tudo Que Nasce É Novo”, lançado em 1990, foi descoberto pelos japoneses em 2018 e virou um sucesso de venda no Japão. O álbum conta com 11 faixas, entre elas as músicas “Quando o Sol foi para o Japão” e “Alimento”, as preferidas dos japoneses.

“As canções escritas por Luizinho Lopes fogem da banalidade dos dias atuais, flertando abertamente com a consistência do melhor da nossa música popular. Isso, sem cair em meras cópias ou repetições. E este novo álbum equivale a um belo cartão de apresentação para quem ainda não conhece o seu trabalho. ”, escreveu o jornalista Fabian Chacur, que assina a resenha do disco.

Discografia Luizinho Lopes

“Nem Tudo Que Nasce É Novo” (1990)

“Sertão Das Miragens” (Luizinho Lopes e Marcela Lobbo) (2002)

“Noiteceu” (2008)

“Luizinho Lopes Ao Vivo” (2014)

“Falas Perdidas” (2016)

“No Retrato” – clipe (2018)

“Pé De Letras” (2019)

“Dossiê40” (2020)

“Como Seria Explodir Um Amor Tão Concreto Duro de Partir?” (2023)

Mais sobre o artista:

Instagram: https://www.instagram.com/luizinholopesoficial/

Facebook: https://www.facebook.com/luizinholopesoficial/

Crédito da foto: Luizinho Lopes por Marina_Costa

YouTube: https://www.youtube.com/user/Luitilopes

Deixar um compentário

Please enter your comment!
Please enter your name here