Pedreira Paulo Leminski: destaque no cenário nacional e na busca constante de melhorias para a comunidade

0
494

Grupo de trabalho busca convivência harmônica entre moradores do entorno e a principal operação de entretenimento no Sul do país, porém movimento isolado vai na contramão deste objetivo.

Assim como uma bateria marca o compasso de uma melodia, em Curitiba, a Pedreira Paulo Leminski define a cena musical na região Sul do país. Grandes bandas e artistas já pisaram no maior palco fixo a céu aberto da América Latina e, na memória dos curitibanos, a acústica do local virou lembrança viva de shows marcantes. Com o apoio de Helio Pimentel, CEO do Parque das Pedreiras e grande impulsionador cultural no Paraná e no Brasil, o espaço se tornou um pilar fundamental do cenário cultural.

“Após a reabertura da Pedreira, com a relação fortalecida junto a agentes nacionais e internacionais, e iniciativas realizadas pela Prefeitura e pela DC Set Group, Curitiba se tornou a segunda cidade do Brasil a sediar grandes shows. Excluindo o evento Rock In Rio, só perdemos para São Paulo”, comenta Pimentel, também sócio da DC Set Group, uma das maiores empresas de entretenimento no país e concessionária do Parque das Pedreiras. Em funcionamento há quase dez anos, após a reabertura, cumprindo com as obrigações da concessão, hoje os gestores concentram esforços para melhorias logísticas voltadas às necessidades da comunidade.

Quinzenalmente, reuniões com a concessionária, representantes dos Conselhos Comunitários de Segurança (Conseg) e de órgãos do poder público passaram a ser realizadas para discutir medidas e soluções que equilibrem as necessidades da comunidade e os projetos de expansão de infraestrutura do complexo.

“Estamos trilhando um caminho para que o setor público e a iniciativa privada estejam em consonância e em colaboração para minimizar esses impactos e possibilitar uma coabitação cada vez mais harmoniosa”, observa o empresário. Ele ainda ressalta que essa construção colaborativa é a alternativa mais rápida e justa, pois o objetivo do grupo de trabalho é continuar avançando e garantindo que o Parque seja um ambiente acolhedor, pulsante e adaptável às necessidades da comunidade.

O trabalho conjunto é ameaçado

Para reabertura da Pedreira, em 2013, foi necessário um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), decorrente de um acordo firmado entre Ministério Público e Prefeitura de Curitiba, visto que naquela época, além da incerteza de como seria feita a futura gestão do espaço, não havia a regulação ativa dos órgãos públicos através da Comissão de Grandes Eventos da Prefeitura do Município de Curitiba, como existe hoje.

Além de cumprir as exigências do TAC, a DC Set Group, após solicitação do Conseg Abranches, abriu suas portas para os representantes dos Consegs Abranches, Pilarzinho e da Associação dos Moradores do Abranches para, em conjunto com representantes da Prefeitura de Curitiba, ouvir, entender e buscar conjuntamente soluções para as demandas da população do entorno sobre os impactos gerados, em grande parte, na área externa à Pedreira.

Desde a criação deste grupo de trabalho, em meados de junho, diversas medidas já foram realizadas e outras estão em fase de implantação em curto, médio e longo prazo. Mesmo após a saída do representante do Conseg Abranches, o grupo optou por dar sequência às reuniões periódicas e aos trâmites junto ao poder público.

O grupo do Conseg do Abranches, entretanto, está se mobilizando para exigir mudanças na TAC. “O movimento para revisão do TAC soa como um retrocesso dentro de tantos avanços já obtidos, inclusive porque não podemos pensar em engessar as medidas que são adotadas visando minimizar o impacto dos eventos no entorno. Principalmente porque estamos falando de eventos com formatos, públicos e demandas que se diferem entre si”, afirma o empresário.

“Existe um consenso no grupo de trabalho sobre a preservação da conquista alcançada com o TAC, instrumento essencial para manter o funcionamento adequado e seguro do Parque. Afinal, ele é um espaço de lazer e entretenimento querido pela população curitibana. Não podemos permitir que medidas restritivas comprometam a experiência dos visitantes e a diversidade de eventos que ocorrem no local”, complementa.

Atividades desenvolvidas pelo grupo de trabalho

Conheça algumas das atividades que estão sendo desenvolvidas pelo grupo de trabalho, que tem como referência estudos desenvolvidos pela concessionária junto com empresas parceiras, bem como protocolos utilizados nos principais núcleos urbanos de entretenimento no mundo:

  1. Flexibilização dos bloqueios de ruas em dias de grandes eventos, transformando os bloqueios em monitoramento do trânsito, proporcionando uma melhoria do fluxo que, naturalmente, já aumentou nos últimos anos pelo adensamento populacional da região;
  2. Flexibilização do horário de fechamento do trânsito na Rua João Gava, sendo realizada de forma gradativa e de acordo com a avaliação técnica de necessidade;
  3. Campanha de efetiva atuação para reduzir o número de pessoas se deslocando em veículos, com incentivo ao uso do transporte coletivo (com disponibilização de ônibus gratuito para levar as pessoas embora após os shows) e outras modalidades de transporte;
  4. Aumento do controle e fiscalização das ruas no entorno, visando a redução do estacionamento irregular na região, com consequente diminuição da atuação de flanelinhas;
  5. Reserva de vagas nas vias públicas em todo o entorno do Parque das Pedreiras (na Rua Eugênio Flor, na Dona Branca, na Nilo Peçanha e na Roberto Gava), para impedir o estacionamento irregular, fomentar o uso de outros meios de transporte e inibir a atuação de flanelinhas;
  6. Fomento da presença mais constante das forças de segurança a fim de coibir a atuação de profissionais irregulares na região, como ambulantes e flanelinhas;
  7. Reforço no serviço de limpeza no entorno do Parque das Pedreiras após os eventos;
  8. Melhoria do controle sonoro em todo o complexo, a partir da evolução constante da aparelhagem e também ferramentas de medição.

A reverberação na cidade

Para além da região Norte da capital, com o fomento e a colocação de Curitiba na rota de grandes turnês, diversos outros espaços passaram a receber atrações nacionais e internacionais.

O Estádio Couto Pereira, localizado no Alto da Glória, região mais central da cidade, recebeu recentemente shows de grandes bandas como Coldplay, Foo Fighters e receberá, no próximo mês, a Red Hot Chilli Peppers e, em dezembro, o consagrado cantor Paul McCartney.

Assim como a Ligga Arena, que deu palco a grandes nomes da música, como Michael Bublé, Andrea Bocelli e, em breve, receberá o renomado Roger Waters. Para isso, são necessárias adaptações referentes ao trânsito no local, que passam pelo bloqueio de ruas, desvio das linhas de ônibus e uma adequação da segurança no entorno. “Seria um retrocesso imaginarmos uma capital relevante no país, como Curitiba, novamente fora do roteiro de grandes eventos”, reforça Pimentel.

Locais de grandes eventos, como os que existem em Curitiba, se unem a diversos outros setores para tornar os projetos possíveis. Dessa forma, com um cenário fortalecido, Curitiba se destaca como um dos pontos de referência no setor, em comparação a outras cidades do Brasil. “Esse calendário contínuo alimenta o turismo, gera empregos em vários segmentos da economia, cria uma vitrine cultural para nossa cidade e traz riqueza musical e um entretenimento de alta qualidade para nossa cidade”, pontua.

Pessoas que antes não teriam acesso a grandes shows internacionais, hoje encontram em uma cidade próxima os grandes ídolos dessa e de outras gerações. A região Sul do país se movimenta e passa a olhar para os grandiosos. Um reflexo do movimento que vem sendo feito há anos, pode ser visto hoje.

Deixar um compentário

Please enter your comment!
Please enter your name here