ChatGPT e similares são novas ferramentas para as empresas qualificarem o atendimento

0
415

Recurso baseado em Inteligência Artificial oferece mecanismos avançados para se aproximar do cliente

O ano de 2023 já começou com tendência na área da tecnologia que promete revolucionar a relação da sociedade com a internet e, principalmente, sobre o que se entende hoje como Inteligência Artificial: o ChatGPT. No entanto, apesar de o assunto estar em alta nos últimos meses, boa parte das pessoas e empresários ainda não sabe como utilizar a ferramenta que, em apenas dois meses de funcionamento, conquistou 100 milhões de usuários.

“É a nova face da internet e uma ferramenta poderosa para as empresas conquistarem clientes e, principalmente, consolidarem a reputação que têm no mercado”, afirma Josney Rodrigues Lara, diretor de negócios da InfoWorker, empresa que desenvolve soluções em tecnologia para empresas de médio e grande porte em todo o Brasil.

Chat GPT é a sigla para Chat Generative Pre-Trained Transformer, uma tecnologia lançada em novembro de 2022 pela empresa Open AI que pesquisa e desenvolve projetos de Inteligência Artificial. A novidade é que se trata de um chatbot que utiliza os diversos tipos de linguagem para se comunicar com o usuário de maneira natural, mas pré-determinada.

A nova ferramenta pode ser usada para acessar as mais diversas informações de forma extremamente rápida e eficiente. Exemplificando, seria um recurso, como o Google, mas com respostas ainda mais personalizadas, mais diretas e com diálogos extremamente humanizados, baseados em informações que vêm de diversas fontes selecionadas pela IA.

Essa tecnologia pode responder a perguntas do dia a dia, desde indicar o melhor computador por custo-benefício até uma receita de bolo, da maneira que o usuário preferir ou necessitar. “Cada dia o mundo pede mais agilidade e rapidez, seja na troca de informações, no conteúdo que consome e até nas respostas para suas dúvidas. Daí a necessidade de as empresas estarem atentas às novidades para não ficarem ultrapassadas”, ressalta o diretor.

Josney explica que, no ambiente corporativo, o ChatGPT pode auxiliar em diversas demandas. Entre as utilizações mais recorrentes, ele conta que estão o atendimento ao cliente, que se torna mais eficaz com a redução no tempo de espera para as respostas, até avaliar o posicionamento da empresa no mercado, o que estão falando e em quais canais ela está presente, qual o público que está sendo atingido.

O chat GPT também pode ser útil dentro do ambiente corporativo para ajudar no treinamento de funcionários, simulando situações e gerando guias de treinamento. Outra vantagem da ferramenta é o fato de estar disponível em tempo integral inclusive para dar respostas personalizadas, o que é uma reclamação comum nessa área, explica.

“Essa tecnologia pode mudar o conceito atual da internet, agregando valor à web e às noções de arte, cultura e cinema de toda sociedade”, reforça o especialista, citando como exemplo o fato de o ChatGPT já produzir textos completos em vários idiomas.

Segundo Josney, essa ainda é uma questão polêmica porque, para muitos, trata-se de puro e simples plágio, uma vez que que a IA utiliza modelos e se baseia em textos produzidos por pessoas reais, mesclando essas informações em um novo texto. Para outros é uma nova tecnologia que pode auxiliar na produção de peças que não deixam se ser “novas”, poupando tempo e mão de obra. “Esse é um debate autoral que já existe desde que a Inteligência Artificial começou a ganhar espaço no mercado. Porém, as empresas precisam encarar a novidade como um recurso extra para potencializar seus negócios”, enfatiza.

Ele conta que a IA faz parte de diversas tecnologias há muito tempo e não está, necessariamente, relacionada à ação de robôs inteligentes com aspecto humanoide. A inteligência artificial já faz parte do dia a dia há anos e, entre os exemplos, estão a assistente pessoal Siri dos produtos da gigante Apple, os filtros do TikTok que transformam fotos em desenhos de diferentes estilos, aplicativos de mapas como Google Maps e Waze, entre diversos outros.

SUBSTITUIÇÃO

Na sociedade, uma das grandes preocupações é se essa tecnologia vai substituir os seres humanos. Na opinião de Josney, a IA, o ChatGPT ou mesmo outras ferramentas que venham a aparecer não vão substituir o trabalho humano, mas devem fornecer mais subsídios para atender às demandas dos trabalhadores nos mais diversos setores da economia que buscam se aprimorar e evoluir usando a tecnologia, principalmente os recursos de inteligência artificial e automação.

A Microsoft, por exemplo, é uma das empresas que já vem percebendo essa tendência e investindo largamente em soluções baseadas  em Inteligência Artificial e na OpenAI, que segue essa tendência e tem o potencial de aprimorar textos e a interação com o cliente a partir de regras pré-definidas. “É um recurso extremamente eficaz e que as empresas vêm recorrendo cada vez mais para qualificar o atendimento ao consumidor e aprimorar as demandas corporativas. Em um mundo altamente conectado e no qual a opinião de terceiros pode causar um prejuízo à imagem da empresa, os gestores estão cada vez mais preocupaos e atentos para não dar margem a erros que podem ser evitados”, salienta o diretor.

Josney Rodrigues Lara

Josney Rodrigues Lara é empresário, diretor de negócios na InfoWorker Tecnologia e Treinamento. Graduado em Sistemas da Informação e mestre em Tecnologia em Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Responsável pelo plano de negócios e desenvolvimento de estratégia em vendas da empresa. Site: https://infoworker.com.br

Deixar um compentário

Please enter your comment!
Please enter your name here